Posts

EFD-Reinf: sua empresa está preparada para mais um desafio do Fisco?

As exigências do Fisco quanto à apuração e entrega das obrigações trazem constantes preocupações para os profissionais da área tributária, dentre elas está a Escrituração Fiscal Digital das Retenções e Informações da Contribuição Previdenciária – EFD-Reinf. A entrega desta obrigação teve início em maio deste ano, inicialmente para empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões registrado em 2016. A próxima entrega está prevista para o dia 15 de fevereiro de 2019, sendo janeiro o mês de referência. A regra se estenderá para as empresas enquadradas no Simples Nacional e entidades sem fins lucrativos, quanto aos fatos ocorridos a partir de 1° de julho de 2019. Por fim, quanto aos entes públicos e organizações internacionais, ainda não há prazo estabelecido.

A EFD-Reinf surgiu com o objetivo de complementar o e-Social, centralizando as retenções de contribuintes sem relação com o trabalho. É a obrigação acessória do sistema Público de Escrituração Digital, que substitui a DIRF no que diz respeito aos tributos federais retidos na fonte, e o bloco P da EFD Contribuições, que apura a Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB). Mas, afinal, quais os principais desafios para as empresas que necessitam realizar a entrega no início de 2019?

No primeiro momento de vigência da Reinf, a Receita Federal exige somente as informações relacionadas às retenções previdenciárias, tanto no que diz respeito aos serviços prestados como aos serviços tomados que impliquem cessão de mão de obra. Para as outras retenções (IRRF e CSRF), a Receita ainda divulgará os prazos específicos de início de vigência.

O envio das informações é feito por meio de um sistema de mensageria com especificações que atendam o leiaute de informações estabelecido pela Receita Federal. Neste sentido, soluções fiscais podem viabilizar a entrega, garantindo velocidade na execução com análise dos dados anterior às remessas, a fim de mitigar riscos e contemplando a conciliação entre a área fiscal e a contabilidade e, dessa forma, o compliance.

Quanto às penalidades em relação ao atraso, entrega com erro ou omissão do EFD-Reinf, primeiramente, o contribuinte será intimado a apresentar a declaração original e, no caso de não realizar, ficará (em regra) sujeito à multa de 2% ao mês-calendário ou fração, incidentes sobre o montante dos tributos informados na EFD-Reinf, ainda que integralmente pagas. No caso da falta de entrega da declaração ou transmissão após o prazo, ficará limitada a 20% e R$ 20,00 para cada grupo de dez informações incorretas ou omitidas.

Desafios das vendas: como as técnicas de PNL podem ajudar?

Em vendas físicas ou virtuais, a experiência de consumo passa por uma transformação. Diante desse cenário, o papel do vendedor precisa ser revisto, afinal, ele compete o tempo todo com os e-commerces que, entre as principais vantagens, trazem bons preços e comodidade aos consumidores. Mas como aprimorar o atendimento e garantir a venda física?

Técnicas ligadas à programação neurolinguística podem contribuir durante os processos de negociação.  Nesta quarta-feira, 18 de outubro, a partir das 8h28, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná) promove um café-palestra sobre o assunto.

Durante o encontro “A Venda na Palma da sua Mão”, conduzido pelo trainer Heverson do Valle, os principais passos da venda – abordagem inteligente; sondagem eficaz, apresentação coerente; objeção e fechamento – serão abordados de maneira dinâmica, proporcionando melhor fixação e utilização prática.

Para você que quer impulsionar as suas vendas, confira as dicas de Heverson do Valle:

1 – Acredite no seu produto

A melhor venda é aquela que acontece de dentro para fora. Saber que possui um excelente produto faz toda diferença no ato da venda.

2 – Avalie sua concorrência

Entenda todos os detalhes do seu concorrente e, de forma positiva, demonstre quais são os diferenciais do seu produto.

3 – Valorize-se

O seu conhecimento e experiência valem muito! Agregue esse valor à venda.

4 – Aprenda a conviver com o “não”

Quanto mais vezes você ouvir “não” do seu cliente, significa que você está mais próximo do “sim”. Haja de forma amigável, pois enquanto a negativa for somente para o seu produto você ainda possui as portas abertas.

5 – Esteja bem consigo mesmo

Pela manhã, mentalize os seus objetivos e não permita que pensamentos negativos invadam a sua mente. Se você já venceu ontem, vai vencer hoje!

Serviço:

Café-palestra (AHK Paraná|Heverson do Valle) “A venda na palma da sua mão”

Data: quinta-feira (18)

Horário: a partir das 8h28

Local: Grand Hotel Rayon| Rua Visconde de Nácar, 1424 – Centro (Curitiba)

Inscrições e informações: (41) 3323-5958 ou ahkparana@ahkbrasil.com

Observação: será uma excelente oportunidade para fazer networking. Além disso, 50% da renda arrecadada pelo trainer será destinada aos Projetos do Rotary Club.

Prêmio Ibema Gravura faz vernissage no Solar do Barão

Concurso, que atraiu 134 inscritos de todo o Brasil, é o único promovido pela iniciativa privada na área da gravura

Consolidado como única premiação para gravuristas realizada pela iniciativa privada, o 8º Prêmio Ibema Gravura inaugura dia 18 de outubro exposição com 20 artistas de todo o país. O vernissage será no Museu da Gravura Cidade de Curitiba, no Solar do Barão, às 19h30. A entrada é franca.

“Convidamos novos artistas para imergir nesse mundo encantador”, diz a coordenadora do prêmio, Lilian Queiroz. “Buscamos ideias que tragam a gravura para perto não só dos estudantes de artes, mas de todos os brasileiros, preservando a nossa cultura com carinho e dedicação.”

O número de inscritos cresceu bastante em 2018, e a seleção das 134 obras enviadas por jovens criadores foi feita por um júri formado por artistas renomados na área. “Desde a primeira até esta oitava edição, percebe-se um acréscimo de qualidade bastante grande, além de um fluxo maior de obras de outros estados”, comemora a artista plástica e professora Uiara Bartira, jurada que acompanha o prêmio desde o início.

O primeiro lugar foi conferido à gravura “Sala”, do paulistano Lucas Naganuma de Rezende. O segundo foi para “com quantas queimas perco seu retrato?”, da baiana Patrícia Paixão Martins, e o terceiro, para obra sem título da curitibana Sílvia da Silva. Juntos eles dividem o prêmio de R$ 9,5 mil.

“Esse trabalho é um dos primeiros que fiz de uma série, ainda em andamento, de paisagens e cenas urbanas. É a sala do apartamento onde moro”, conta Lucas Rezende, que cita como inspiração o fotógrafo japonês Daido Moriyama e suas cenas urbanas de Tóquio, o futurismo de Blade Runner, o cinema de Robert Bresson e as pinturas de Edward Hopper.

A Ibema, uma das maiores fabricante de papelcartão do Brasil e da América Latina, investe no resgate e manutenção da arte milenar da gravura como estímulo ao mercado gráfico e de embalagens. “Percebemos que a impressão digital dava sinais de domínio do mercado, e aos poucos, assistíamos às raízes gráficas sendo esquecidas. Foi aí que tivemos a ideia de organizar um prêmio para resgatar a história da impressão gráfica e ajudar na propagação da arte da gravura”, explica o consultor Fábio Mestriner, especialista no Design de Embalagens e consultor da Ibema.

Jussara Age, que entrou para o júri nesta edição do prêmio, lembra que a gravura tem um processo tecnicamente difícil de ser dominado. “O prêmio acompanhará a carreira desses novos artistas por um bom tempo, porque vemos que ele veio para ficar”, garante o jurado Nelson Hohmann, que é orientador de Gravura no Museu da Gravura Cidade de Curitiba desde 1994.

“É importante que o jovem artista participe de iniciativas como esta mostra, para entender que pode construir imagens e não é só o celular que traz imagens prontas”, defende a jurada Uiara Bartira.

 

Conheça as obras no site www.premioibemagravura.com.br

 

SERVIÇO – Vernissage e exposição 8º Prêmio Ibema Gravura

Dia 18 de outubro, às 19h30

Local: Museu da Gravura Cidade de Curitiba. Solar do Barão – Sala Gilda Belczak

Rua Pres. Carlos Cavalcanti, 533. Fone: (41) 3321-3267

Visitação: ter. a sex. das 9h às 12h e das 13h às 18h; sáb. e dom. das 13h às 18h.

Entrada franca

Quanto vale a saúde e a segurança no trabalho?

Restaurante administrado pela Exal na BO Paper, indústria do segmento de papel, comemora seis anos sem acidentes de trabalho 

O Brasil é o quarto país do mundo que mais registra acidentes de trabalho.  Segundo informações da Previdência Social e Ministério do Trabalho, por ano, ocorrem 700 mil acidentes – os motivos vão da falta de equipamentos até a exaustão dos profissionais.  Mas, afinal, como as empresas podem amenizar esse problema? A resposta está na prevenção, somada a condições favoráveis de trabalho.

É assim que a Exal – Excelência em Alimentação atua: com a prevenção. A preocupação com a saúde e a qualidade de vida de seus colaboradores e dos trabalhadores das empresas parceiras estão entre as prioridades da companhia.  “A gestão de segurança do trabalho está em conformidade com a legislação e atrelada a ferramentas de apoio eficientes na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais”, afirma a técnica de Segurança do Trabalho da Exal, Miriam Gonçalves.

Na BO Paper – unidade Arapoti, que tem o restaurante administrado pela Exal, o resultado é tão positivo que a companhia está há seis anos sem acidentes de trabalho. Por dia, 500 refeições são servidas em três turnos.

De acordo com a técnica de Segurança, além da vigilância constante, uma das ferramentas usadas é o DSS, instrumento de comunicação entre a TST e os colaboradores, que tem a função de conscientizá-los sobre diversos assuntos relacionados à prevenção contra acidentes e doenças ocupacionais. Com isso, houve uma queda de 72% no índice de acidentes na Exal.

No caso de restaurantes, os principais riscos são a ausência de equipamentos, a falta de treinamentos relacionados à função do empregado, problemas de políticas internas que não promovam a prevenção, assim como a capacidade mental ou física das pessoas. “Adotamos um lema : eu me cuido, cuido do meu colega e deixo que cuidem de mim. Isso tem refletido diretamente na segurança dos nossos colaboradores, por isso, estamos comemorando seis anos sem acidente”, conclui Miriam.

Sobre a Exal – A empresa atua no segmento de alimentação coletiva há 25 anos e tem como diferencial a excelência na alimentação, visando oferecer aos colaboradores de empresas e indústrias uma alimentação diferenciada, onde o bem-estar, a saúde e a qualidade de vida estão em primeiro lugar. A Exal conta com, aproximadamente, 1.500 colaboradores e oferece cerca de 100 mil refeições por dia. Os restaurantes são administrados por nutricionistas com formação em gestão de negócios e todos os profissionais passam por etapas de treinamentos e capacitação de acordo com a atuação dentro da empresa. Mais informaçõeswww.exal.com.br.

Associação Comercial do Paraná é a mais nova associada ao InPAR

A ACP, Associação Comercial do Paraná, é a mais nova associada ao Instituto Paranaense de Reciclagem. Na ocasião, o presidente da ACP, Glaucio Geara, falou sobre a importância do trabalho realizado pelo InPAR no estado do Paraná, bem como a relevância de ações estratégicas e dos projetos voltados para a educação ambiental e seu impacto na economia. Para Rommel Barion, a nova associação será de extrema importância em termos de sustentabilidade: “Por ter um contato direto com os comerciantes do estado, a parceria com a ACP poderá resultar em novas relações e com isso trazer ideias para uma melhor integração entre o setor e as ações que visam disseminar hábitos sustentáveis”.

No encontro estavam presentes o presidente do Instituto Paranaense de Reciclagem, Rommel Barion, o coordenador do Conselho de Ações de Sustentabilidade Empresarial (Casem) e membro do Pacto Global da ONU, Norman de Arruda Filho, e Glaucio Geara, presidente da Associação Comercial do Paraná.

Guairinha recebe espetáculos internacionais de dança

Evento marca abertura oficial da Mostra Paranaense 2018 com coreografias contemporâneas de artistas premiados a preços populares

Uma das missões da Mostra Paranaense de Dança é oferecer ao público a oportunidade de prestigiar espetáculos profissionais a preços populares. Em sua 11ª edição, o evento traz para Curitiba apresentações de solistas premiados e/ou finalistas no Internationales Solo-Tanz-Theater Festival Stuttgart, que ocorre anualmente na Alemanha. Os artistas apresentam trabalhos inovadores no palco do Guairinha, no dia 2 de maio, às 20h. A entrada terá o valor de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Os espetáculos marcam a grande abertura do evento organizado pela Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra, a ABABTG, com coreografias de bailarinos da Espanha, Congo, França, Itália e Eslovênia. O festival, que é realizado na Alemanha, dá espaço a coreógrafos e bailarinos contemporâneos de diversos locais do mundo para apresentarem performances originais. Os solistas que virão ao Brasil são: Marina Migueléz-Lucena (Espanha), Miguel Mavatiko (Congo), Benoit Couchot (França), Gloria Ferrari (Italia) e Jernej Bizjak (Eslovênia).

Seletiva regional

Após a grande abertura internacional, coreografias de diferentes gêneros serão apresentadas entre os dias 3 e 5 de maio, também no palco do Guairinha. Grupos e artistas da dança de Curitiba, Região Metropolitana e cidades próximas mostrarão seus trabalhos para uma banca de profissionais convidados pela ABABTG e que poderão ser selecionados para participar da final da Mostra, que ocorre tradicionalmente no Guairão no mês de junho. Esses espetáculos serão abertos ao público ao preço de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Dando continuidade as seletivas de coreografias da Mostra em todo o Paraná, as próximas paradas da ABABTG serão em Chopinzinho (28 de abril a 4 de maio), Ponta Grossa (5 a 11 de maio) e Arapongas (12 a 18 de maio). Também serão ofertadas oficinas de aprimoramento técnico e artístico em modalidades variadas, ministradas por profissionais habilitados (consultar cronograma abaixo).

Sobre a Mostra Paranaense de Dança – o evento se tornou um dos maiores do gênero no Brasil. Em 2017, reuniu cerca de 17 mil pessoas – entre público, artistas inscritos, bailarinos profissionais convidados, equipe técnica e alunos das oficinas e workshops. Ao todo, o Festival contou com a participação de grupos de 56 cidades, sendo três de Santa Catarina e o restante do Paraná. Ambos os estados reuniram 2.360 artistas inscritos, que apresentaram 566 coreografias, sendo que, destas, 122 foram aprovadas para a Mostra Final. Neste ano, a Mostra Paranaense de Dança dá continuidade ao seu compromisso de revelar o talento de artistas e grupos amadores, promover a interação entre profissionais e estudantes da dança, ofertar iniciativas de formação, promover apresentações artísticas de companhias e bailarinos profissionais convidadas, e trazer para o país artistas internacionais em apresentações inéditas.

CRONOGRAMA – Mostra Paranaense de Dança 2018

Espetáculo de abertura da Mostra Paranaense de Dança:

Solistas premiados e/ou finalistas no Internationales Solo-Tanz-Theater Festival Stuttgart se apresentam no Guairinha

Data: Quarta-feira, dia 2 de maio, às 20h
Local: Guairinha – Rua XV de Novembro, 971
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), disponíveis no Disk Ingressos e bilheteria do teatro.

Espetáculos dos grupos inscritos na Seletiva Curitiba:

Datas: 3 a 5 de maio, às 20h, e 6 de maio às 18h
Local: Guairinha – Rua XV de Novembro, 971
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), disponíveis no Disk Ingressos e bilheteria do teatro.

Apresentações das seletivas nas cidades do interior:

  • Chopinzinho: 26 e 27 de maio
    • Ponta Grossa: 2 e 3 de junho
    • Arapongas: 9 e 10 de junho

Mostra Final com os artistas e grupos selecionados:

  • Entre os dias 21, 23 e 24 de junho, no Guairão, em Curitiba.

Inscrições para oficinas de aprimoramento técnico e artístico, via site www.ababtg.org.br/mostra (R$ 20 por oficina):

 

  • Campo Mourão: 30 de abril a 13 de maio
    • Chopinzinho: 7 a 20 de maio
    • Ponta Grossa: 14 a 27 de maio
    • Arapongas: 21 de maio a 3 de junho
    • Curitiba (Mostra Final): 4 a 17 de junho

Regulamento e informações:

mostra@ababtg.org.br
www.ababtg.org.br/mostra
www.facebook.com/ababtgoficial

Blockchain: tecnologia que transforma o setor financeiro

Tecnologia já é realidade em muitos bancos internacionais com a criação de próprias criptomoedas

Com um público cada dia mais conectado, os bancos possuem o desafio diário de se reinventar, desenvolver novas plataformas e melhorar os seus processos internos. O blockchain, desenvolvido em meados de 2008, vem se tornando a tecnologia chave do sistema financeiro e promete ser um grande aliado para a modernização do setor durante os próximos anos, especialmente na forma de realizar pagamentos.

A ferramenta – também conhecida como encadeamento de blocos – permite o envio de moedas virtuais, como o bitcoin, e a criação de um registro dessas transações de forma rápida, segura e transparente, diferente dos meios tradicionais.

Além disso, devido ao potencial para redução de custos e aplicabilidade, muitos bancos e startups já começaram a explorar e implementar o sistema. A tecnologia tem sido eficaz porque simplifica a distribuição e descentraliza as informações. Por meio de um livro de registro, dados de todas as operações realizadas são armazenados, com isso, nenhuma transação pode ser manipulada, ou seja, nenhum usuário pode alterar um único byte de informação dos processos já realizados.

Entre suas variadas aplicações, os pagamentos internacionais são os mais visados no momento, pois permitem a transferência de valores para qualquer lugar do mundo, de forma instantânea e sem intermediadores. Esta plataforma poderosa também está aberta para os registros contábeis de empresas em geral, universidades, entre outras entidades. O fato é que a inteligência blockchain será capaz de promover grandes mudanças nos métodos corporativos, com a implantação do mercado das criptomoedas, que vem crescendo a cada dia.

A tendência já é realidade em muitos bancos internacionais com a criação de suas próprias criptomoedas (Ripple, por exemplo). Diversas empresas já aceitam o Bitcoin como pagamento de seus serviços, pois os recursos para administrar a moeda virtual são inúmeros, como a criptografia de dados, a conversão de moedas, a verificação de autenticidade da informação, o backup automático ou manual de suas informações, entre outros. Além de altamente segura e inteligente, a tecnologia do blockchain possibilita o investimento em diferentes áreas de atuação no mercado – sendo este um grande passo para asegurar a competitividade no setor.

*Guilherme Mairene Rodrigues é Principal of Technology da FH, empresa de tecnologia especializada em processos de negócios e software