Prêmio Ibema Gravura faz vernissage no Solar do Barão

Concurso, que atraiu 134 inscritos de todo o Brasil, é o único promovido pela iniciativa privada na área da gravura

Consolidado como única premiação para gravuristas realizada pela iniciativa privada, o 8º Prêmio Ibema Gravura inaugura dia 18 de outubro exposição com 20 artistas de todo o país. O vernissage será no Museu da Gravura Cidade de Curitiba, no Solar do Barão, às 19h30. A entrada é franca.

“Convidamos novos artistas para imergir nesse mundo encantador”, diz a coordenadora do prêmio, Lilian Queiroz. “Buscamos ideias que tragam a gravura para perto não só dos estudantes de artes, mas de todos os brasileiros, preservando a nossa cultura com carinho e dedicação.”

O número de inscritos cresceu bastante em 2018, e a seleção das 134 obras enviadas por jovens criadores foi feita por um júri formado por artistas renomados na área. “Desde a primeira até esta oitava edição, percebe-se um acréscimo de qualidade bastante grande, além de um fluxo maior de obras de outros estados”, comemora a artista plástica e professora Uiara Bartira, jurada que acompanha o prêmio desde o início.

O primeiro lugar foi conferido à gravura “Sala”, do paulistano Lucas Naganuma de Rezende. O segundo foi para “com quantas queimas perco seu retrato?”, da baiana Patrícia Paixão Martins, e o terceiro, para obra sem título da curitibana Sílvia da Silva. Juntos eles dividem o prêmio de R$ 9,5 mil.

“Esse trabalho é um dos primeiros que fiz de uma série, ainda em andamento, de paisagens e cenas urbanas. É a sala do apartamento onde moro”, conta Lucas Rezende, que cita como inspiração o fotógrafo japonês Daido Moriyama e suas cenas urbanas de Tóquio, o futurismo de Blade Runner, o cinema de Robert Bresson e as pinturas de Edward Hopper.

A Ibema, uma das maiores fabricante de papelcartão do Brasil e da América Latina, investe no resgate e manutenção da arte milenar da gravura como estímulo ao mercado gráfico e de embalagens. “Percebemos que a impressão digital dava sinais de domínio do mercado, e aos poucos, assistíamos às raízes gráficas sendo esquecidas. Foi aí que tivemos a ideia de organizar um prêmio para resgatar a história da impressão gráfica e ajudar na propagação da arte da gravura”, explica o consultor Fábio Mestriner, especialista no Design de Embalagens e consultor da Ibema.

Jussara Age, que entrou para o júri nesta edição do prêmio, lembra que a gravura tem um processo tecnicamente difícil de ser dominado. “O prêmio acompanhará a carreira desses novos artistas por um bom tempo, porque vemos que ele veio para ficar”, garante o jurado Nelson Hohmann, que é orientador de Gravura no Museu da Gravura Cidade de Curitiba desde 1994.

“É importante que o jovem artista participe de iniciativas como esta mostra, para entender que pode construir imagens e não é só o celular que traz imagens prontas”, defende a jurada Uiara Bartira.

 

Conheça as obras no site www.premioibemagravura.com.br

 

SERVIÇO – Vernissage e exposição 8º Prêmio Ibema Gravura

Dia 18 de outubro, às 19h30

Local: Museu da Gravura Cidade de Curitiba. Solar do Barão – Sala Gilda Belczak

Rua Pres. Carlos Cavalcanti, 533. Fone: (41) 3321-3267

Visitação: ter. a sex. das 9h às 12h e das 13h às 18h; sáb. e dom. das 13h às 18h.

Entrada franca